19 julho, 2014

Primeira imagem do vilão de Os Vingadores 2

Juro que achava que esse momento não chegaria nunca, mas enfim chegou. A revista Entertainment Weekly publicou a primeira imagem do vilão de The Avengers 2, Ultron. Preciso falar que estou ansiosa pela estreia do filme?

Post original do site Adoro Cinema, que mostrou uma parte do artigo da revista explicando como surgiu Ultron. 
"Para o bem ou para o mal (acredite, é para o mal), Tony Stark criou um plano que não vai mais exigir que ele vista a armadura do Homem de Ferro, e deveria permitir ao Capitão América, Thor, Viúva Negra, Gavião Arqueiro e o Hulk ter um pouco de descanso também. A solução dele é o Ultron, uma inteligência artificial com consciência e capacidade de aprendizado, desenhada para avaliar ameaças e dirigir o exército de drones de Stark para combater inimigos. O único problema? Ultron (interpretado por James Spader através da tecnologia de captura de movimentos) não tem um toque humano, e seu intelecto superior rapidamente determina que a vida na Terra seria melhor e mais fácil se ele simplesmente eliminasse o inimigo público número 1: os seres humanos. Ultron vê o contexto e pensa 'Ok, nós precisamos de uma mudança radical, que será violenta e espantosa, para fazer as coisas ficarem melhores', ele não pensa apenas 'Haha, logo eu vou dominar!', diz Whedon, esfregando as mãos uma na outra.'Ele está em uma missão', o cineasta acrescenta, e depois sorri. 'Ele quer nos salvar'.
Pelo jeito, e eu espero que sim, o filme vai ser fodástico e a previsão de estreia é para abril de 2015, até lá é muita ansiedade.

17 julho, 2014

O que aprendi com o Sr. Strooge

Para quem não conhece. o Sr. Strooge é um personagem de Charles Dickens no livro Um conto de Natal. O livro é bem gostoso de ler e, dependendo da sua disponibilidade, em um dia você termina. 
Um mini resumo: Sr. Strooge é um homem detestável. Muito mal humorado, um chefe chato pra caramba, rico, mas que não gasta um centavo nem para ter um pouco de conforto. Não gosta do único sobrinho e detesta Natal. Ele era sócio de Jacob Marley, que morreu e deixou o escritório coo herança, mas justo naquele Natal, seu fantasma visita Strooge para mostrar algumas "coisas" que ele PRECISAVA enxergar.
É sobre essas "coisas" que quero falar hoje, o que aprendi com cada uma.
Os Fantasmas do passado, presente e futuro aparecem para mostrar um pouco sobre a vida para ele, mostram um pouco sobre como foi um Natal em seu passado, o Natal no presente e algumas situações futuras.
Primeira coisa que quero falar é que, nós sempre temos a chance de mudar se acreditarmos que nos fará bem. Acredito que a maioria das pessoas não têm esse pensamento de mudar para melhor, e quando digo isso, não me refiro somente a estudar mais, fazer exercícios físicos ou coisas do tipo. Não que não seja importante. Mas a questão maior é quem você é e como você trata as pessoas ao seu redor. O Sr. Strooge, como eu já disse, é conhecido por ser um chato e mão de vaca.
Enquanto lia o livro, eu pensava sobre a minha própria vida - fora a parte do dinheiro, porque se eu tivesse, eu seria só chata =) -, e como na maior parte do tempo eu não quero falar com ninguém, gosto de poucas pessoas e não sou capaz de fazer novas amizades, muito menos mantê-las. Houve um tempo em que eu era muito boa nisso, mas hoje eu apenas não quero/consigo. Entretanto, muitas coisas nós precisamos dar valor. Amigos verdadeiros e família, por mais que ela seja louca e problemática. Eu dou muito valor à minha e sei que se eu precisar, eles nunca me deixarão sozinha.
Apesar de não ser uma pessoa muito sociável, tenho algumas amigas que sei que se eu precisar delas três horas da manhã, elas estarão lá. E pensei seriamente em tentar formar amizades, nem que sejam virtuais sabe, sei lá, só para me sentir melhor.
Agora, algo que me fez refletir muito mais foi em algo que é característica fixa minha: ranzinza. Cara, não sei como as pessoas me suportam às vezes. Até eu sei quando estou sendo um porre e eu gosto de ser assim - sorry - mas tenho consciência plena de que não é uma coisa muito legal.
Quando você lê um livro com uma mensagem tão bonita quanto Um conto de Natal e você se identifica com o personagem, você começa a pensar em mudanças. Sério. Tentar ser uma chatice a menos no mundo e, confesso, estou trabalhando nisso. Claro que com algumas pessoas será uma missão impossível, mas juro que antes de morrer sozinha e sem ninguém pra lembrar de algo bom que eu fiz em vida, vou tentar ser menos velha chata. Não sei se consigo, mas tentarei.
Deixo a dica de leitura, vale muito a pena.

"Seu coração transbordava de felicidade, e isso era o bastante."

14 julho, 2014

Efeitos visuais de Game of Thrones

Não canso de dizer que amo GOT e acho os cenários lindos e muito bem feitos. Até ontem, eu não havia parado pra pensar como eram feitos os cenários, claro que eu sabia que muitas coisas eram computadorizadas e tal, mas é tudo tão perfeito que não conseguia imaginar como tudo foi produzido. Acontece que a Mackevision divulgou um vídeo mostrando como foram feitos alguns efeitos da 4ª temporada.

Nem preciso dizer que achei sensacional. É um trabalho muito incrível e essa galera merece o Emmy.
Lindo, né?

08 julho, 2014

E se Game of Thrones fosse criado pela Disney?

Já imaginou? Achei o máximo quando, navegando nas internets da vida, me deparei com o trabalho de Fernando Mendonça que mostra como os personagens de GOT seriam, caso tivessem sido criados pela Walt Disney. 
Adorei Jon Snow e acredito que deveríamos fazer um pedido para que o Fernandinho fizesse outros personagens, como Stannis e Tywin.
Eu adorei a ideia do cara, não só pelos personagens, mas pela ideia que teve, sabe. Onde que eu, sonsa do jeito que sou, teria essa ideia, mesmo depois de ter visto a versão Os Simpsons. Sou apaixonada pela série e, também, pela Disney. Adorei mesmo.

23 junho, 2014

Fotografar para relaxar!

Há algumas semanas bateu uma daquelas depressões do final de semana. Às vezes isso acontece comigo, mas dessa vez foi forte, me fez até chorar, talvez por causa da TPM, mas foi intensa.
Meu noivo, lindo, maravilhoso, toca em duas bandas e está com um projeto de uma nova, então na maioria dos finais de semana ele tem ensaio. Acontece que justo nesses dois dias ele tinha ensaio o dia todo e eu fiquei em casa. Fiz várias coisas, arrumei e desarrumei coisas, ouvi música, assisti, comi, dormi e parecia que o final de semana não acabaria nunca.
Mas o maior motivo da frescura - no bom sentido - era porque eu precisava fotografar. Precisava. A qualquer custo. Mas justo naquele final de semana? Não deu. Marcamos para o final de semana seguinte e foi incrível. Visitamos duas exposições, que eu falei aqui e aqui, e fizemos um mini tour na Esplanada dos Ministérios, que eu acho linda.
Aí vão algumas fotos:



 Todas as fotos acima foram tiradas pelo meu eterno amor!!
Foram muitas fotos e por isso selecionei só algumas e ainda assim foram muitas. Também tenho várias fotos tiradas com o celular para testar minhas lentes fofas e vou postar depois também.
Esse dia aliviou muita coisa e a idéia era eu fotografar e não ser fotografada. Acabei ficando só com o celular mesmo, mas foi tão relaxante que não cansei de subir e descer as rampas do Congresso.
Minha cidade, independente de qualquer coisa, é linda e possui uma arquitetura de tirar o fôlego. Venham conhecê-la e me avisem para fazermos um tour =)
Até mais!

19 junho, 2014

Descobrindo novas músicas com Deezer


Já faz um tempo que ando meio desanimada com as músicas atuais. Sempre fui bem chata com esse assunto e acho que estou ficando cada dia mais, porque acho que a cada dia as músicas perdem qualidade e seus autores pensam apenas na parte financeira. As letras são ruins e eu poderia citar mais mil coisas que eu detesto nessas músicas.
A música é uma arte e, para mim, importa muito como ela me toca e desperta sentimentos e emoções.
Acontece que junto com a minha chatice veio também a dificuldade em encontrar o que ouvir, tanto é que fiquei bastante tempo ouvindo só aqueles CDs antigos de bandas evangélicas que eu não enjoo nunca. E também buscava lá nos anos 70, 80 e 90 uma solução para o meu problema, mas ainda assim não estava satisfeita. Decidi usar a tecnologia a meu favor,mas tinha mais um problema: pesquisa no Google é muito ampla e eu não fazia ideia do que procurar. Pedia sugestões de amigos, mas ainda assim era algo muito amplo.
Pesquisei aplicativos que me permitissem ouvir músicas de graça no celular e cheguei até o Rdio, que vou falar sobre ele depois.
Hoje estou completamente viciada no Deezer e no Spotify e vou falar um pouco sobre o Deezer.
Ele tem três opções para você ouvir suas músicas:
-Discovery: gratuito, mas com várias restrições e levando em conta o 3G lixo que temos, só dá para aproveitar usando wi-fi e ainda tem um monte de propagando chata.
-Premium: Sem propaganda, mas o acesso é só por computador.
-Premium +: Sem propagando, você pode salvar as músicas para ouvir offline, acesso por celular, computador e tablet e mais um monte de vantagens.
O bom de ter esse tipo de aplicativo é que ele te traz vários estilos de música diferente e você não precisa passar por aquele processo: baixa a música>põe no iPod>não gosta da música>apaga a música>volta a procurar músicas. Resolveu meu problema de não ter o que ouvir e ainda me deu a oportunidade de conhecer outros estilos, como por exemplo, músicas que se ouve na China rs.
Eu decidi assinar a versão Premium+ exatamente porque dá pra ouvir independente de internet e em todos os horários que eu posso, estou conhecendo músicas novas e sabe de uma coisa? Estou amando mesmo.
O mais legal que eu achei é que a assinatura você paga em real, ótimo para pessoas, que assim como eu não possuem cartão internacional.
Está disponível para Android e e iOs.
Espero que gostem da dica!

03 junho, 2014

BSB Cartaz...

Continuando sobre as exposições que eu e meu parceiro de todas as horas fomos domingo.
Em outra sala do Museu Nacional estava em exposição vários cartazes sobre a cidade. Alguns foram vencedores de um concurso em comemoração ao aniversário de Brasília e outros são mostras gráficas da história da Capital desde 1960, se não me engano.

 Como eu já disse várias vezes, História me fascina e ver os cartazes que um dia já foram divulgadores de eventos da cidade, me encanta. Têm cartazes de vários tipos de divulgações e o mais legal é ver como a arte gráfica era antigamente. Acho legal fazer uma mini-comparação, mesmo que eu não entenda da área. Não tirei muitas fotos, porque acabei esquecendo, mas se eu soubesse que a exposição já estava no fim, eu teria tirado algumas outras. Fiquei tão entretida que tirei só algumas mesmo. 
Apesar de mais simples, eu acho que valeu super a pena conhecer mais essa parte da história da minha querida Brasília, que mesmo cheia de defeitos, ainda assim, não troco por nada.
Parece que a exposição também já está encerrando ou já encerrou, o que me deixa bastante triste. Acontecem muitos eventos aqui na cidade e que a maioria nem fica sabendo, porque não é divulgado. Eu gosto muito, muito mesmo desse tipo de arte, assim como teatro e cinema, mas eu perco muito o que acontece aqui porque nunca lembro de fazer esse tipo de pesquisa e, sério, não vejo muita divulgação. Acho triste a mídia dar mais valor à notícias ruins do que culturais, mas vou tentar lembrar de sempre ver as programações para não perder mais coisas incríveis por aqui.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...